Operação AmazonasPromoção:
Operação AmazonasPromoção:
Sinta-se livre para contactar-nos:

Frutas amazônicas comercializadas em pó

Sem categoria 27.01.2016

O Brasil é considerado o 3º mCase 2 - divulgação fapeamaior produtor mundial de frutas, ficando atrás apenas da China e da Índia. De acordo com dados da Comissão Nacional de Fruticultura da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), são produzidas anualmente no país cerca de 43 milhões de toneladas, com uma exportação de aproximadamente 3% de sua produção. Uma informação interessante: das mais de 500 variedades de plantas frutíferas, quase a metade são nativas da Amazônia.

Levando em conta este contexto, empreendedores do Amazonas perceberam uma oportunidade de inovar transformando açaí, buriti, camu-camu guaraná e cupuaçu em pó para comercialização nos Estados Unidos e na Europa, alcançando o mercado asiático no próximo ano. A iniciativa está sendo colocada em prática através dos recursos do Sinapse da Inovação, via Fapeam, e com o apoio da Incubadora da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e da empresa Nativa Amazon, responsável pela fabricação do pó das frutas.

A ideia de desenvolver o projeto de pesquisa e fabricar o pó das frutas surgiu há cerca de cinco anos. O idealizador da iniciativa, após algumas viagens, percebeu um nicho de mercado que ainda não havia sido explorado em decorrência de problemas que não tinham solução aparente, como é o caso da conservação das frutas. No ano passado, uma equipe de profissionais foi reunida para trabalhar nessa ideia e, através do programa Sinapse, foi possível concretizá-la.

O processo começa com a aquisição de frutas com os produtores locais do Amazonas, passa pelo despolpamento das frutas e por testes de parâmetros de qualidade. Na etapa seguinte, os pesquisadores utilizam o método de liofilização que consiste na transformação da polpa em pó, através da desidratação feita por equipamento específico, responsável por preservar alimentos perecíveis e princípios ativos.

Após a fruta passar pela liofilizadora, outros testes são realizados para garantir que o processo foi eficiente, e então a fruta em pó é embalada e está pronta para ser comercializada. De acordo com o consultor do estudo, Orivaldo Lacerda Júnior, o grupo de pesquisadores está realizando outros testes para verificar a qualidade do produto final.

Fotos: Divulgação/ Fapeam

Sorry, the comment form is closed at this time.